Cuidado com o seu co-wash: 10 cowashes incríveis para usar sem medo

Até pouco tempo atrás era uma verdadeira odisseia encontrar condicionadores ideais para co-wash, ou seja, livres de petrolatos e silicones. Hoje, a cada dia uma marca lança um higienizador de co-wash e fica até difícil escolher entre tantas opções nas prateleiras. Variedade é ótimo. Viva Nós, consumidores, saímos no lucro quando as marcas se estapeiam para nos conquistar. Entretanto, precisamos prestar muita atenção nessas novidades, ler sempre os rótulos e as composições. Tem muito produto sendo lançado como co-wash que não é nada apropriado para a técnica – inclusive, elaborado por grandes marcas internacionais que, pelo visto, não fizeram a lição de casa. Saíram apenas copiando umas às outras sem investir em pesquisa e desenvolvimento (aliás, sem pesquisar nem no Google).

A moda da vez é o “all in one”, aqueles multifuncionais que prometem um tudo: servem para higienizar os fios, condicionar, tratar, finalizar… trazem seu amor de volta em dois dias… Tanto as marcas mais populares até as mais luxuosas criaram linhas inteiras de multifuncionais entupidos de silicones. Ou seja, para co-wash eles não servem. Para ajudar, alguns deles possuem anfótero (cocamidopropyl betaíne) na composição, o que muitas vezes inviabiliza o uso do produto também como leave-in. Apesar do anfótero possuir alto poder de condicionamento, se a fórmula não for mais condicionante do que limpante, deixar um produto com anfótero nos fios pode causar ressecamento. Difícil saber.

Mas vamos no ínicio:
O co-wash é um termo que vem das gringas, assim como a técnica, e significa “conditioner washing”, que nada mais é do que lavar o cabelo com condicionador. A ideia geral do co-wash é simples: abandonar os sulfatos fortes que estão contidos na maior parte dos shampoos disponíveis no mercado.

Mas por quê? O que há de errado com os sulfatos?

Os sulfatos são fortes demais. Abrem as escamas dos fios e acabam ressecando os nossos cabelos sem necessidade alguma. Isso porque é plenamente possível higienizar o cabelo, ou seja, eliminar sujeiras e microrganismos indesejados, com substitutos mais suaves e tão eficientes quanto.

Agora, se não usamos sulfatos, precisamos eliminar da nossa rotina capilar tudo aquilo que só é removido do cabelo com sulfatos. Esse é o caso dos derivados de petróleo, que aparecem nos rótulos dos produtos como petrolato, parafina líquida, óleo mineral e vaselina. Silicones insolúveis em água também devem ser banidos.

Desta forma, é importante reparar que o co-wash deve ser feito com um condicionador livre de todos esses proibidões também. E qualquer pessoa pode aderir a essa técnica, sendo o cabelo cacheado, liso, ressecado, tingido… Foi uma cacheada britânica quem popularizou o co-wash, a Lorraine Massey (cabeleireira, autora do livro “Manual da Garota Cacheada” e cofundadora da marca Deva), mas a técnica pode ser seguida por quem quiser.

O co-wash se tornou queridinho das cacheadas só porque o cabelo crespo é naturalmente mais ressecado, já que o sebo produzido no couro tem dificuldades em chegar até as pontas e é ele quem forma um filme protetor ao redor do fio e ajuda a manter a hidratação lá dentro.

Mas por que o cowash funciona?

Primeiramente, precisamos esclarecer que limpeza não é sinônimo de ação desengordurante. O óleo que produzimos no couro é um mecanismo de defesa do nosso organismo. Ele ajuda a manter a pele hidratada, elástica e protegida de agentes externos. O que precisamos eliminar do nosso cabelo, portanto, é apenas sujeira do dia a dia, suor, poeira. Precisamos, além disso, controlar proliferação de fungos e bactérias (que causam doenças como seborreia). Assim sendo, nada de associar limpeza a eliminação de óleos. Só os excessos devem ser eliminados.

A FUNÇÃO DOS SURFACTANTES

Existem dois tipos de surfactantes em nossos cosméticos:
O primeiro é o aniônico, que está presente nos shampoos (sulfatos de lauril, por exemplo), e tem carga negativa.
O outro é o catiônico, que está presente nos condicionadores (cetrimonium chloride e betrimonium chloride, por exemplo), e tem carga positiva.
A sujeira, o sebo, microorganismos e todas essas parafernalhas que grudam no nosso cabelo são carregados negativamente. Como aprendemos na escola, os iguais se repelem e os opostos se atraem, certo?

O sulfato do shampoo, que tem carga negativa, repele as cargas negativas do cabelo para a superfície (e daí o nome surfactante: “surface”, que significa superfície). Essas sujeiras todas são enxaguadas para fora do cabelo pela água.

Já os surfactantes catiônicos, presentes nos condicionadores (carga positiva), se grudamem todas estas coisas, também na superfície. A fricção da massagem no couro cabeludo e nas mechas durante a higienização ajuda a tirá-los da superfície e enxaguá-los para fora do cabelo.

Não vou mentir. Alguma coisinha sempre fica, pois esta é a função do condicionador: ficar no cabelo (como as partes mais danificadas da fibra também têm carga negativa, a ideia é que o condicionador forme um filme protetor ao redor desses machucadinhos).

Assim sendo, quem faz co-wash com condicionador liberado para a técnica, precisa fazer uma limpeza mais profunda com algum shampoo sem sulfato esporadicamente, para eliminar esses “build ups” (camadas de resíduos de condicionador). Não faz a louca, hein. Nada de usar shampoo anti-resíduo. Vai zoar o cabelo. Um simples shampoo de Low Poo resolve.

Como escolher o meu Co-wash?

Um bom condicionador para co-wash é bem levinho, não oleoso (óleo deixa build up) e é composto também por extratos antissépticos (como menta,

melaleuca, alecrim, lavanda, capim-limão). Existem opções de co-wash no mercado que vêm com um surfactante coringa, o anfótero.

O anfótero não tem carga negativa nem positiva, a princípio, mas ele pode se tornar aniônico ou catiônico, dependendo da fórmula na qual foi inserido. Os produtos de co-wash que vêm com esse surfactante de fábrica geralmente o utilizam como substituto do sulfato nos shampoos (função aniônica). Ele vira uma espécie de shampoo, mas numa versão bem mais suave (como um Low Poo).

Só tome cuidado com os falsos co-washes que estão por aí. Lembre-se que o seu higienizador precisa ser liberado para a técnica. Não deixe de ler os rótulos. Nem confie em tudo o que te prometem. Se é muito milagre para um só produto, fique de olho!

Entenda as diferenças dos co-washes do mercado:

  • All in One“: Tudo em um. Produtos com múltiplas funções. Se você faz No Poo, verifique se contêm na composição silicones. Estes multifuncionais podem conter anfótero na composição.
  • COWASH SEM ANFÓTERO: Condicionadores para No Poo com composição botânica ou neutra, utilizado com a função de lavagem.
  • COWASH COM ANFÓTERO: Soluções cremosas adicionadas com anfótero. Por seu meio químico, a solução não produz espuma abundante. Apresenta função catiônica.
CUIDADO! Tem co wash sendo vendido com silicones por aí. Você não pode utilizar um condicionador Low Poo para fazer co wash, pois ele possui silicones insolúveis que se acumularão nos fios, ao invés de limpar.

Segue abaixo uma lista dos melhores cowashes que você poderia conhecer!

10º CONDICIONADOR BONI NATURAL 500mL

Este é um condicionador sem anfótero na composição que você pode utilizar para seu co-wash. Apesar de conter nos ingredientes óleo de argan e linhaça (que são óleos bastante leves), possui também extratos de aloe vera (a nossa babosa), calêndula e hamamélis. Condicionador leve e de cheiro suave.
A Boni veio com uma proposta super bacana de produto barato, com ingredientes naturais e com um preço bem menor do que os demais naturais do mercado. Além disso as embalagens são grandes. Ótimo custo benefício! Para todos os tipos de cabelos.
Compre aqui

 

9º – CONDICIONADORES USO DIÁRIO DHONNA 300mL

Esta é a linha de uso diário da Dhonna que conta com a versão cachos e crespos. A diferença dos dois são os óleos que os compõem. O crespos amêndoa com argan e o cachos coco com argan.
Possui extrato de alfafa, lúpulo, alecrim e trevo amarelo. Indicados para cabelos com curvaturas (2 a 4).
Alecrim é um ótimo antibactericida.
Eles são bastante emolientes e deixarão os cabelos com bastante maciez que você nem precisará condicionar. É sair do banheiro e finalizar ao seu gosto.
Compre aqui Dhonna Cachos
Compre aqui Dhonna Crespos

8 – CONDICIONADOR MORANGO SURYA 300mL

Refrescância baby! É isto que você sentirá usando este produto. O troféu vai para o óleo essencial orgânico de hortelã presente em sua composição. Ele não possui anfótero, mas com certeza não fará falta para você, justamente porque promoverá a sensação de limpeza que você busca! Além disso, possui extrato de morango na composição (coisa rara hein?), óleo de buriti e babaçu. Não deixe de testar também a versão Amla, Guaraná e Melão.
A Surya é uma das primeiras marcas veganas do Brasil. Este co-wash é uma opção bem bacana para couro cabeludos com tendência a oleosidade.
Compre aqui

 

COMIGO NINGUÉM PODE LOLA 450g

Ele vem num pote, mas é co-wash! A Lola desenvolveu este produto como um multifuncional. Então além do co-wash, você pode utilizar para hidratação, como um condicionador e até um creme para pentear. Para pentear O que tem nele: extrato de aloe vera, urtiga, arnica, salvia, pitanga e camelia. Óleo de tea tree e girassol. Foi desenvolvido para quem faz descoloração.
O mentol na composição dará a sensação de limpeza que você busca. Rende bastante!
Depois de ver toda esta composição, besta você será se não olhar pra ele só porque não clareia os fios.
Compre aqui

6º – CONDICIONADOR ARTE DOS AROMAS ANDIROBA

Com extrato de Aloe Vera na composição, que pouca gente sabe mas é um ótimo antibactericida. Também possui óleo de andiroba e óleo vegetal de alecrim. O interessante é que este condicionador contém anfótero. Não se trata do cocamidopropyl, mas do olivamidopropyl, surfactante de origem vegetal (oliva) que também se comporta de maneira híbrida. Neste condicionador, possui função catiônica.
Este possui selo EcoCert. O único problema é que não rende muito. Um pena.
Compre aqui

 

5º – ÁGUA DE ALOE CAPILAR 210mL

Uma água para limpar os cabelos? Sim! Por que não?
Neste spray belezura contém gel de aloe vera em uma bela quantidade! Santa babosa! Mas não para por aí: Tem também extrato de Agrião do Brejo, extrato de Moringa, Extrato de Cebola, Óleo essencial de Alecrim e Óleo essencial de Lavanda.
Como faz para usar? Simples! Com os cabelos molhados, borrifa no couro cabeludo, massageia e enxágua.
Compre aqui 

 

CONDICIONADOR DE OLIVA E ARGAN MULTIVEGETAL 240mL

Óleos na composição poderia assustar, mas fique tranquilo. Tem muito extrato de aloe vera aqui!
Os condicionadores da Multi Vegetal são incríveis. Muito emolientes, condicionam de verdade os fios.
Tem também extrato de hibisco que é um ótimo antioxidante. Não rende muito e particularmente embalagens com pump nem sempre te deixa aproveitar o produto até o fim.
Compre aqui

 

3º CONDICIONADOR LIPPIA ALBA HERBIA 300mL

Riquíssimo em extratos e óleo essencial. Com um cheirinho botânico muito bom!
Contém óleo de Babaçu, óleo de Pracaxi, manteiga de Cupuaçu, manteiga de Cacau, extratos de Camomila e Açaí, óleo essencial de Limão Siciliano, óleo essencial de Citronela, óleo essencial de Laranja, óleo essencial de Hortelã, óleo essencial de Pau Rosa, óleo essencial orgânico de Patchouli, óleo essencial de Alecrim e hidrolato orgânico de Verbena Brasileira (Nomemclura científica Lippia Alba, que dá o nome a este condicionador).
É bastante consistente e acaba não rendendo tanto. A marca não é brasileira, então encontrá-lo é um pouco mais difícil.

 

2 º CONDICIONADOR MARIA DA SELVA CATIVA

Selvagem! Abrindo esta tampinha você sente esta mistura de extratos botânicos da sua composição. É extrato para mais de metro! Os extratos que compõem este produtos são caros no mercado, tornando-o um produto um tanto exclusivo: Melaleuca, Jasmim-manga, Extrato de Gardenia do Tahiti, Extrato de mulateiro, Extrato de Damasco, Extrato de Lavanda, Extrato de Maçã, Extrato de Baunilha, Extrato de Jasmim, Extrato de Cravo, Extrato de Angélica, Extrato da casca de Laranja Doce, Extrato de Gengibre e Extrato de Cardamomo.
Não para… Além disso contém óleo de pracaxi, andiroba, óleo de gerânio e óleo coco.
Como se não bastasse, possui quase 80% de insumos orgânicos rastreados.
Compre aqui

 

1 – NO POO DEVA (TRADICIONAL)

Ele é rico em extratos de plantas que limpam bem o couro cabeludo, como menta e capim limão (bactericidas e fungicidas), e que ativam a circulação, promovendo o crescimento saudável do fio (como o alecrim). Por conta do menthol, dá aquela sensação maravilhosa de refrescância no couro cabeludo. O cheiro é simplesmente “dos deuses”. De coisa natureba, sabe?
Tem uma consistência bem firme, mas rende muito. Passe bem pouquinho com a ponta dos dedos e massageie bem o couro cabeludo. Espalhe o produto com a ajuda de bastante água. Os produtos da Deva devem ser utilizados com muita, muita água.
Compre aqui

 

Ana Carolina é a louca dos gatos. Adotou o Bobby e a Mel. Come bolo todo dia. É jornalista, mas se aventurou nas peripécias cabelísticas, trocando a profissão pelas tesouras. Hoje é cabeleireira do salão Resistência Armada.